SUSCRIBIR NEWSLETTER

Newsletter semanal

* campo obrigatório

Taça + LIBRETA DE CATA na mão: a fórmula perfeita para não esquecer

Ana Esponda e Adriana Bidegain nos falam sobre o seu projeto, que será apresentado em sociedade no IX Salão Conrad do Vinho Fino

 

 

 

Bloco de apontes, caderno, ou a simples folha de papel que logo da degustação, com certeza termina perdida, já passou de moda. Agora todo degustador bem treinado pudera contar com um accessório útil, “de consulta” e esteticamente cuidado, acompanhando assim ao produto que se avalia em salões e reuniões de degustação.... sua majestade, o vinho!

 

Trata-se da Libreta de Cata, uma produção editorial de Ana Esponda e Adriana Bidegain, duas estudantes de sommeliers do Colegio Gato Dumas, que ao longo de seu já cursado ano de estudo se questionarem – e na sua vez coincidirem – que não se encontra no mercado uruguaio um formato de livreta na que se podam registrar graficamente os vinhos degustados. Algo que serva para tomar anotações, que no dia de manhã pudera ser usado na hora de falar ou apresentar um determinado rótulo para um cliente, um jornalista, ou amigo.

 

Num formato adequado para ser levado na bolsa das senhoras, ou no bolso das jaquetas dos cavaleiros, a Libreta de Cata, projetada desde suas capas duras com uma linda cor bordeaux, coloca a consideração dos degustadores regulares aos eventos, ou reuniões informais, a possibilidade de ter registrado os vinhos que mais lhe chamarem a atenção, ou porquê não? aqueles que preferiria evitar num próximo evento. Em definitiva, e já que a memória é seletiva, para não esquecer.

 

Para conhecer um pouco mais e saber de que trata-se este empreendimento, Vinho e Bebidas by Daniel Arraspide, tive uma conversa com as produtoras de Libreta de Cata, que consultadas ao respeito nos comentavam....

 

 

Daniel Arraspide: - Como, quando e porquê decidem começar trabalhar neste projeto?

 

- Na realidade o projeto surgiu da necessidade de organizar todos os apontes que tínhamos da hora de degustar os vinhos. Um dia conversando disso, e levando a conta que compartilhávamos a ideia (e a quantidade de papeis), nos decidimos por faze-lo.

 

Quando vamos aos eventos, marcamos o que degustamos nas fichas que te dão, essas onde se detalham os vinhos que se apresentam; mas, se quiser anotar mais algum dado, o espácio não é suficiente. Também anotamos quando vamos visitar uma vinícola, ou quando nos reunimos entre nós, ou simplesmente quando estás na frente de uma garrafa de vinho. Para ter um registro gráfico, decidimos começar levar umas livretas, dessas nas que anotávamos os trabalhos da escola, mas claro, essas anotações depois tínhamos que repassar em limpo, e então se acumulam as livretas e não encontras o tempo para organizar a informação.

 

O que tentamos é fazer as coisas mais simples e com um jeito de dar uma ordem ao assunto, e também encher essa carência, cá não há algo assim; no Colégio manipulamos uma variedade de fichas, e então pegando um pouco de todas elas pensamos em armar algo prático que se transformou nesta Livreta, onde escreves os dados que te interessam desse vinho no momento em que o degustas.”

 

D.A.: - Saindo um pouquinho do assunto da Livreta – mas, seguindo dentro de contexto – de acordo com vossa visão, como é que vocês vêm a realidade do vinho no Uruguai, e o da profissão de sommelier em nosso país?

 

- A realidade do vinho é um pouco complexa. Se fazem muitos bons vinhos no Uruguai, o que não fica claro é quanta gente conhece essa realidade. Vinhos de muito boa qualidade, numa faixa de preços grande, como para que os consumidores possam chegar a eles, e claro, existem esses vinhos que nos surpreendem agradavelmente…. muitas vezes é puro preconceito, há que faze-lo ao lado e experimentar….

 

O mundo do vinho é de uma diversidade muito rica e muito desfrutável, além mais quando nos desafia em cada casta, cada corte…. isso é o que temos que mostrar, tudo o que há mais lá da garrafa; é aí onde nossa profissão encontra sua razão de ser.

 

.… falta como uma puxada, há que fazer-se conhecer mais, há que falar mais do vinho, comunicar o que fazemos e para o que se estuda, brigar por um lugar que ainda há que fazer…. somos novos, a profissão é nova aqui, mas, não acredito que ninguém venha a procurar-nos na nossa casa, há que sair e começar a marcar um território, falar com a gente, contar-lhe que o vinho é muito mais que o resultado do processo de fermentação das uvas, transmitir a paixão que nos provoca e o importante de nosso rol como comunicadores.”

 

D. A.: - Qual é vossa expectativa pessoal respeito à Libreta de Cata, ou que esperam da indústria e do consumidor. Colocado assim: qual esperam seja a primeira repercussão num mercado que ainda está carente em boa parte de educação e conhecimentos para com o vinho, seu consumo e serviço?

 

- Apostamos para que se converta num instrumento útil para aqueles que já conhecem o mundo do vinho e para aqueles que estão entrando no mesmo; acreditamos que pode ser um apoio ou um complemento que os ajude nesse acercamento, nessa descoberta de todo o que pode aportar uma taça de vinho, o apaixonante que pode ser o fato de encontrar aromas numa taça….

 

Imagina agora, com estas temperaturas, em quê pensas?.... numa cerveja bem gelada. Pero quê passa se ajudamos a descobrir que também é possível desfrutar do mesmo jantar com um gostoso e aromático Sauvignon Blanc em sua certa temperatura, ou um espumante gostosamente frio?

 

Apontamos a difundir, a divulgar o consumo do vinho tudo, mas também o nosso, embora os importados estejam mais baratos no supermercado….”

 

D.A.: - Para quê data está programado o lançamento da Libreta de Cata?

 

- A Libreta sai da gráfica na última semana de janeiro, sempre ficam coisas que se coordenam e definem na hora e algumas vezes os prazos se modificam um pouco, mas agora só estamos esperando a saída…. Esperamos ver alguma rolando pelo Salão Internacional do Conrad.”

 

D.A.: - Já falando do preço ao público nos pontos de venda, qual será?

 

- O preço de venda ao público da Libreta de Cata vai ser de $ uruguaios 250 (dois centos e cinquenta pesos uruguaios = 25 reais)”

 

Nas primeiras folhas da Libreta de Cata se pode ler um breve instrutivo sobre os passos a seguir na degustação, a ordem no qual degustar os vinhos, e suas diferentes temperaturas de serviço. E claro, como este mundo do vinho está composto não apenas por consumidores; a indústria e os atores envolvidos também têm o seu destaque nas folhas de publicidade contidas na obra.

 

Uma criação para a qual batemos palmas desde o nosso espaço, e desejamos o maior dos sucessos, no entendido de que tudo aquilo que se faz com o propósito de divulgar e acrescentar a cultura do vinho e sua degustação inteligente é bem-vindo.

 

 

Para entrar em contato com a produção, contratação de publicidade, maior informação e vendas da Libreta de Cata escreva para: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it

 

Ou através de facebook:

 http://www.facebook.com/profile.php?id=100001095929085&sk=wall

 




Copyrigth 2010 - Todos los Derechos Reservados por Daniel Arraspide - Designed by Pandemia Hosting Uruguay.