SUSCRIBIR NEWSLETTER

Newsletter semanal

* campo obrigatório

Giménez Méndez.... clássico, diferenciado, e inovador

3 rótulos que mostram a máxima expressão do terroir de Las Brujas

 

 

 

Se há uma coisa que temos tentado deixar claro nos últimos tempos, essa é que não apenas Tannat é o que Uruguai tem, e pode oferecer ao mundo! Que o Tannat é nosso “carro chefe”, uma casta que encontrou boa aptidão no nosso solo-clima, e que com ela, dia-a-dia se conseguem novos reconhecimentos, mesmo de consumidores, quanto de especialistas, isso ninguém discute. Negar isto é um erro, encaixar-se e crer que é a única verdade, outro.

 

Agora, até a vinícola que mais tem logrado exportar os seus Tannat's premiums pelo globo, também mostra outras opções. Vinhos que por suas características podem chegar ser catalogados como clássicos, alguns outros, diferenciados, e até porquê não? inovadores.

 

Esse é o caso destes três rótulos hoje apresentados. Um clássico Chardonnay, sem dúvidas, a casta branca mais difundida; um Merlot, tinto que muitas vezes é deixado de lado e que infelizmente tem perdido o seu protagonismo ao lado de seu irmão, o Cabernet Sauvignon; e una casta bastante nova, a Arinarnoa, uma uva jovem que se desenvolveu a partir do cruzamento genético da Merlot com a Petit Verdot, e que na atualidade começa aparecer como varietal.

 

Três vinificados, que sob a assinatura dos enólogos Luis e Mauro Giménez Méndez - dois inquietos jovens com filosofia de “vamos a mais” que vem surpreendendo com os caldos elaborados - hoje lhes apresentamos, recomendamos, e tentamos ajudar na harmonização com pratos adequados. O motivo? o seu desfrute, e que através deles – de estes vinhos – conheça outras e novas expressões de um terroir que da que falar. Depois nos comenta!

 

 

CHARDONNAY 2010

 

Vinho límpido e brilhante, de cor amarela palha, com reflexos esverdeados. No nariz lembra maça verde, o pêssego, e o abacaxi, com nuances de casca de laranja. Na boca tem uma entrada muito boa, de volume leve, acidez bem equilibrada e agradável lembrança final no paladar. Ótimo para harmonizar com camarões à milanesa, com salada de verdes, noces e manga, com vinagrete de oliva, mostarda e mel. Para beber na casa dos 7 – 8 grados.

 

 

ALTA RESERVA MERLOT 2008

 

Bom exemplar de um Merlot bem feito, este vinho medianamente encorpado se mostra interessante já na sua etapa visual. De color vermelha vibrante sem evolução, convida ser levado no nariz para apreciar seus complexos aromas de frutas vermelhas pequenas, com nuances de terra molhada, e folhas secas. Na boca se manifesta com carnosidade, mas sem taninos agressivos, boa acidez final, e agradável lembrança. Seu lugar está ao lado de um peito de frango recheado de presunto cru, rúcula, tomates secos, e queijo defumado. Servir na casa dos 16º.

 

 

ALTA RESERVA ARINARNOA 2009

 

De uma surpreendente cor roxa muito brilhante, é um vinho que na hora de ser servido e agitado na taça mostra lágrimas grossas que descendem lentamente. Na etapa olfativa oferece boa complexidade, misturando frutas como o mirtilo, as ameixas bem amadurecidas, notas de especiarias, defumado, chá, e baunilha. Na boca chama atenção com boa estrutura, pela sua expressão de fruta, o nervo de sua acidez, e duradouras caudalías ao final. Para acompanhar com cozido de cordeiro com batatinhas e grão-de-bico, bebendo a uns 18 grãos.

 

 

WEB SITE DO PRODUTOR: www.gimenezmendez.com

 
Depois do pôr-do-sol, a grande mostra do vinho

28 y 29 de janeiro: IX Salão Conrad do Vinho Fino de Punta del Este

 

 

 

Contemplar um pôr-do-sol do “lombo” de La Ballena, ou de outro lugar em Punta del Este é presenciar uma das paisagens mais lindas do mundo, além de um presente para os sentidos. Essas mesmas terras, onde se começa configurar um novo polo vitivinícola no Uruguai, com novos empreendimentos e investimentos, mais e novos hectares de vinhedo cultivado – muitos de eles ainda jovens, e sem ter dado a sua primeira colheita – são o cenário natural que muitos turistas escolhem, e que todos os anos se dão cita para desfrutar desse “Uruguay Natural” tão promovido dentro e fora de fronteiras.

 

Conhecedores desse potencial, os empresários do Hotel Conrad Resort & Casino, apostam através de seu Departamento de Alimentos e Bebidas, já faz alguns anos, para uma mega- degustação de vinhos e gastronomia que na verdade merece destaque.

 

Trata-se do Salão Conrad do Vinho Fino de Punta del Este, que neste ano – em sua nona edição – promete oferecer uma grande variedade com perto de 400 rótulos vindos de Uruguai, a região, e o mundo. Entre esses rótulos recomendados se encontra uma importante diversidade de Tannat's uruguaios, Mabec's argentinos, Carmenèré's chilenos, algum Shyra ou Siráz australiano – apenas a modo de exemplo – sem contar os espumantes, brancos vários, rosés, e alguns licorosos.

 

Vinhos que vão ser bem harmonizados com as diferentes opções gastronômicas, entre as que se contam una variedade de queijos e frios, pães, empanadas, sushi, frutos do mar, cortes especiais de carnes, e os gostosos doces, que vão colocar o ponto final das duas noites do próximo final de semana de 28 e 29 de janeiro.

 

As portas abrem ao público mesmo depois desse espetáculo natural que falávamos é o pôr-do-sol, a hora 21, e vão ficar abertas até a hora 01. Duas noites nas que se espera receber mais de 4.000 participantes, superando a assistência da edição anterior. Entre essa multidão que se vai encontrar degustando nas taças Riedel entregues ao ingresso, se contam consumidores, enochatos, enólogos, sommeliers, profissionais, imprensa geral e especializada.

 

Os mais sortudos puderam contar nesta edição do salão com a LIBRETA DE CATA, um trabalho das colegas Ana Esponda e Adriana Bidegain, do que podem se informar aqui. Um valioso material que lhe ajudará registrar os vinhos que vá degustando e fará com que sua memória lembre eles no momento necessário.

 

Fiquem todos convidados, em especial os turistas estrangeiros, que talvez ainda não conheçam o bom que esta terra mostra para com os vinhos de qualidade. Altamente recomendável!

 

Os ingressos podem ser adquiridos a U$S 45 na ReD UTS ou na própria Bilheteria do Conrad

 

 

Web site: www.conrad.com.uy

 
Tannat de Giménez Méndez é um dos melhores vinhos do 2010

M. Coppello destaca o Las Brujas Reserva Tannat como um dos TOP 200 do ano

 

 

 

Burdeos, Borgonhas, italianos, espanhóis e portugueses, alemães e suíços, gregos, australianos, norte-americanos, chilenos e argentinos – entre outros – integram a lista dos TOP 200 melhores vinhos comercializados no ano 2010, uma guia escrita e publicada pelo brasileiro Marcelo Copello*

 

Entre estes TOP 200, é destaque um vinho do sul uruguaio (produzido com uvas do Estado de Canelones) e rotulado sob a grife Las Brujas, um Tannat Reserva da safra 2008, elaborado pela família Giménez Méndez. Um vinho que no Brasil é distribuído e comercializado pela Hannover Vinhos com um preço que promedia os 42 reais a garrafa.

 

São somente dois vinhos do Uruguai que fazem parte desta seleção de Copello, o mencionado anteriormente e o Amat 2005 de Bodegas Carrau, elaborado com uvas de Cerro Chapeu (fronteira Rivera – Livramento) e que chega ao mercado brasileiro na faixa dos 122 reais

 

Para Copello, quem define boa parte de sua filosofia numa frase de 17 palavras: “- Quebrar paradigmas como 'vinho bom, é vinho caro', vinho bom é simplesmente o que agrada seu paladar” esta dica, além de ser uma realidade que vive no seu dia a dia, e que defende com unhas e dentes, deixa claro que não é necessário de um grande investimento em dinheiro para degustar um ótimo vinho. Proba de isso é que nos seus TOP 200 aparecem vinhos com uma muito boa relação custo-qualidade, a partir dos 26,40 reais.

 

A obra literária tem nas suas 26 folhas, uma guia onde explica como degustar certamente vinhos, seções divididas entre brancos, roses, tintos, licorosos, e espumantes. Além contempla em capítulos por separado os melhores vinhos e espumantes do Brasil, e conta também com um completo análises realizado por Orestes de Andrade Jr. (Assessor de imprensa do Ibravin – Instituto Brasileiro do Vinho) quem sob o título “Raio-X do vinho brasileiro em 2010” fala sobre importações – exportações, consumo, mercado interno e externo, com um jeito gráfico e completo.

 

Una verdadeira guia, que não deveria se passar por alto, se você amigo leitor, se considera um enófilo, degustador, ou profissional da indústria. Onde vai encontrar toda a informação necessária para localizar esse vinho que procura, graças à lista final onde aparecem os contatos das empresas produtoras ou exportadoras.

 

E respeito ao Uruguai, o que dizer? Tem que seguir adiante, dando mostras de que é possível ir a mais, elaborando vinhos que chamam a atenção de profissionais e consumidores, uma fiel testemunha de que com trabalho e dedicação, se podem colocar no mercado muito bons rótulos.

 

 

Leia na íntegra o TOP 200 de Marcelo Copello em:

http://www.mardevinho.com.br/uploads/2008/08/Top200-Os-Melhores-de-2010.pdf

 

 

  • Marcelo Coppello é brasileiro, tem 45 anos, é jornalista especializado em vinhos, e foi escolhido no 2009 pela revista Meininger's Wine Bussines International como o “jornalista brasileiro mais influente na indústria do vinho” É um distinguido formador de opinião, autor de quatro livros, colaborador de diversos médios de imprensa, jurado internacional em concursos de vinhos, professor, sócio da escola de degustação Mar de Vinho localizada no Rio de Janeiro e editor do web site www.mardevinho.com que nestes dias está completando os seus 10 anos de vida.

 
Garzón, Mallmann, e Wines of Uruguay

O Punta del Este Food & Wine Festival encerrou com sucesso

 

Francis Mallmann (Foto: Andrea Fontes)

 Francis Mallmann (Foto: Andrea Fontes)

 

 

A manhã do sábado 27 de novembro despertou de sol com nuvens em Montevidéu, o quê iria acontecer com o clima no decorrer do dia? Só era algo que apenas os meteorologistas tinham certeza.

 

Já sobre o meio-dia, com uma distância de 175 km da capital, em Pueblo Garzón – onde o sol nessa hora brilhava – se observava um movimento inusitado. Os moradores do lugar – sem entender muito o que estava acontecendo – se mostravam curiosos com toda essa movimentação. O Punta del Este Food & Wine Festival tinha chegado até ali para dar encerramento à proposta de 4 eventos de nível internacional que se tinham planificado.

 

Com isso, 15 vinícolas uruguaias tinham a possibilidade de mostrar aos assistentes, 55 de seus rótulos de mais destaque. Entre elas, dois pertencentes à nova Bodega Garzón, um investimento de capitais argentinos que respondem à empresa Agroland, conhecida no mercado pela produção de aceites de oliva extra-virgen.

 

As demais, 14 vinícolas afiliadas sob a grife Wines of Uruguay, e que fazem parte do consórcio de vinícolas exportadoras, brilharem – enólogos e proprietários presentes – deleitando ao pessoal variado, de consumidores ocasionais, passando por gourmets, e até profissionais e imprensa nacional e internacional do setor. Se observou inclusive bom porcentagem de turistas estrangeiros.

 

Um dos protagonistas indiscutíveis deste evento, o chef Francis Mallmann, quem trabalha em Garzón faz já um tempo, foi o responsável da cozinha – entenda-se fogos – que se encarregarem dos produtos de mar e terra que acompanharem esta boa seleção de vinhos. Salmão, cordeiro, filé, abobora, pão, frutas e demais especialidades, deu forma ao que seu próprio autor deu em chamar 7 fuegos (sete fogos)

 

O evento que aconteceu na própria praça do povo foi verdadeiramente inovador, além de bem produzido e divulgado. Os 250 participantes apreciaram o ótimo conjugado de cozinha e vinho. E muito mais lá do que o próprio Mallmann sempre se confessa como um “inimigo da harmonização” foi possível harmonizar com jeito maravilhoso pratos com vinhos.

 

Espumantes, brancos, alguns poucos rosés – uma pena – tintos jovens e de guarda, e vinhos para a sobremesa, colocarem cor nas taças. O destacável disso é que todos foram made in Uruguay, sob um mesmo “teto” e numa exposição na que ficava de lado tudo aquilo de “o meu é melhor, pois eu vendo mais e chego em mais mercados”. Uma iniciativa digna de bater palmas, que é necessária – perdoem que insista com isso – que tem se mostrar mais seguido, não só no Uruguai, se não também fora de fronteiras. Boa parte desse mérito corresponde ao Gustavo Magariños, Gerente de Wines of Uruguay.

 

Um encerramento de festival magistral, que deixa um saldo positivo e demonstra com isso que se podem fazer coisas diferentes e interessantes, inovadoras pelo menos. Necessárias para mostrar ao mundo nossos vinhos, carnes, queijos, e produtos que nestas terras se cultivam. Onde homens e mulheres dedicados à cozinha dão forma, cor, textura e sabor.... verdadeiras obras de arte que se apreciam com os cinco sentidos.

 

Com certeza, as imagens são mais gráficas que nossas palavras, só dê uma olhada na reportagem fotográfica da companheira Andrea Fontes, e depois nos dá o seu comentário.... 

 

Gabriel Bialystocki e filha

 

 

Cordeiro, filé & cia.

 

 

 

Mauro Giménez Méndez

 

Mallmann no seu molho

 

 

 

Gabriel Bialystocki, Gustavo Magariños

 

Vinícolas, amigos, e momentos

 

 Apenas Mallmann

 

Mais momentos

 

After lunch

 

 

Web sites de interes:

www.puntafoodandwine.com

www.winesofuruguay.com

 
Pizzorno à la carte

Com degustação dos melhores rótulos em diversos lugares e eventos

 

 

Não existe maior satisfação para um produtor de vinhos, que ver os seus produtos nas taças, e que de eles desfrutem os convidados. Essa foi a expressão de satisfação que se podo ler na face do enólogo Carlos Pizzorno em dois eventos que acontecerem faz apenas alguns dias.

 

Harmonizar os vinhos com diversos pratos sempre é um desafio para as duas partes envolvidas, a vinícola e a cozinha. Uma tarefa e decisão onde participam enólogos, sommeliers, e chefs. Procurando encontrar o ponto certo de equilíbrio, se combinam cores, aromas, texturas e sabores, tentando destacar virtudes, e que os produtos – vinhos e pratos – brilhem e não briguem entre sim.

 

Pois bem, esse objetivo foi atingido. Por um lado, o passado 11 de novembro, o Bistro Corchos, localizado na Ciudad Vieja / Montevidéu, fez – com sucesso – uma degustação harmonizada de algumas das suas criações. Claro está, fazendo muito boa harmonia com 4 rótulos que a Pizzorno Family Estates escoliou para a ocasião. Para quem perdeu o jantar, só de pensar dá água na boca. Dê uma olhada nesta harmonização:

 

Quiche de alho poro e queijo de cabraDon Próspero Savignon Blanc 2010

 

Peixe-espada com manteiga de echalottes Don Próspero Tannat Mac. Carb. 2010

 

Ossobuco em demiglace de Tannat com feijão branco Pizzorno Tannat Res. 2006

 

Combinado de miniaturas doces tradicionais Espumante Natural

 

Uma ótima seleção, que resultou num jantar mais que agradável, onde o próprio Carlos Pizzorno, acompanhado do enólogo Marcelo Laitano, conversaram com os participantes assessorando e respondendo as consultas dos ávidos consumidores.

 

 

 

Já em outro evento, o jantar denominado Aquarela do Uruguai (sábado 13 de novembro) que fez parte do Punta del Este Food & Wine Festival, anunciado aqui, Pizzorno encheu as taças na hora da sobremesa. As duas versões de seus espumantes foram os responsáveis de colocar a cereja acima do bolo no grande jantar preparado pelos chefs brasileiros especialmente convidados à festa. Foi assim, que os borbulhantes se degustaram com:

 

Abacaxi caramelizado com gelatina de cachaça, sorvete de coco, e abacaxi crocante

com Pizzorno Espumante Natural (método tradicional)

 

Crème brûlée de banana, aromatizada com gengibre e baunilha da Amazônia

com Pizzorno Espumante Reserva (método tradicional)

 

Duas oportunidades onde a potencialidade da vinícola de Canelón Chico ficou demonstrada. Uma coisa para a que o próprio Carlos Pizzorno – com a humildade que ele caracteriza – nos tem acostumados.

 

Mas também, se falava por aí – embora ainda é extraoficial – que o sommelier Charlie Arturaola em pessoa pediu para o Pizzorno que seja o sponsor da próxima apresentação no Uruguai do filme “El Camino del Vino”.

 

No momento, o que sim esta andando são as “harmonizações personalizadas” que segundo Pizzorno, “- Já tem feitas varias.... Nós vamos até o lugar com os vinhos, levamos o chef, preparamos tudo e os convidados desfrutam. Se fazem dois botecos para cada vinho, procurando com isso ver as diferentes opções e como harmoniza cada uma delas.... Na verdade ficamos muito contentes, pois é um jeito de dar conhecer o nosso produto.”

 

Informação em detalhe, entre em contato com: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it


Web site do produtor: www.pizzornowines.com

 
« StartPrev12345678910NextEnd »

Page 8 of 10




Copyrigth 2010 - Todos los Derechos Reservados por Daniel Arraspide - Designed by Pandemia Hosting Uruguay.