SUSCRIBIR NEWSLETTER

Newsletter semanal

* campo obrigatório

Bento Gonçalves recebe o 2º Concurso Pan-americano de Sommeliers

 

Escolha do melhor sommelier das Américas envolverá 24 profissionais de 12 países

 

 

 

Texto: Orestes de Andrade Jr. (OAJ Comun. & Marketing), Foto: Gilmar Gomes

 

 

O 2º Concurso Pan-americano de Sommeliers será no Hotel e Spa do Vinho Caudalie, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS). Vinte e quatro sommeliers de 12 países participam da competição, uma espécie de Copa América do Serviço de Vinho, promovida pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), Associação Internacional de Sommeliers (ASI) e Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin).

 

A semifinal entre os dois melhores sommeliers dos 12 países participantes – Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Equador, Estados Unidos, México, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela – ocorre no dia 23. A final, com três competidores, aberta ao público, será no dia 24, às 17h, no Centro de Convenções do Spa do Vinho Caudalie, seguida de jantar de gala.

 

O vencedor se classifica para o Concurso Mundial de Sommeliers, que ocorrerá em 2013 no Japão. “Vamos realizar este concurso no berço da vitivinicultura brasileira em um local elegante e refinado como merece a profissão de sommelier”, afirma Danio Braga, presidente da ABS.

 

Os dois representantes brasileiros serão Diego Arrebola, de Campinas, e Tiago Locatelli, do Varanda Grill, de São Paulo, respectivamente o 1º e o 2º colocados no 7º Concurso Brasileiro de Sommeliers, promovido e organizado pela ABS com representantes do Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará, Brasília e Curitiba.

 

O 1º Concurso Panamericano de Sommeliers, realizado há três anos, em Buenos Aires, teve uma mulher como vencedora: Elyse Lambert, do Canadá, que trabalha no XO Restaurante do St James Hotel, em Montreal. Neste concurso, os dois brasileiros ficaram bem colocados, Guilherme Corrêa, da Decanter, ficou em terceiro lugar e Tiago Locatelli foi o quinto. O melhor sommelier do mundo, Gerard Basset, também estará presente no concurso.

 

Paralelamente ao concurso, a ABS e o Ibravin promovem, de segunda (22) a quarta (24), uma série de visitas técnicas pelas vinícolas da Serra Gaúcha. “Será uma boa oportunidade para os sommeliers das Américas conhecerem mais a produção vitivinícola brasileira”, afirma o gerente de Marketing do Ibravin, Diego Bertolini. A agenda prevê visitas na Aurora, Casa Valduga, Chandon, Dal Pizzol, Miolo e Salton, além de um mini Circuito Brasileiro de Degustação com a participação de 13 empresas (Casa Valduga, Courmayeur, Don Giovanni, Domno do Brasil, Don Laurindo, Dunamis, Geisse, Laurentia, Larentis, Lidio Carraro, Pizzato, Peterlongo e Valmarino).

 

 

 
Dia & Noite Vale dos Vinhedos, novo projeto da Aprovale

 Visitantes poderão viver experiências diárias e noturnas em mais de três meses de atrações diferenciadas 

 

 

Texto: Lucinara Masiero (Conceitocom Imprensa e Eventos)

 

Se o Vale dos Vinhedos já é atraente de dia imagine à noite. É para mostrar aos visitantes como o roteiro pode ser surpreendente que a Aprovale lança o projeto Dia & Noite Vale dos Vinhedos, com atrações distribuídas no período de 30 de novembro a 17 de março do próximo ano, contemplando as festas de final de ano e a vindima. Serão mais de três meses de intensa programação promovendo experiências em vinícolas, hotéis, restaurantes e parques, além de cafés e artesanato.

 

A vontade da Aprovale de tornar o Vale ainda mais atrativo no final de ano deu força ao projeto. O trabalho começou com o envolvimento e troca de ideias com os associados. Era necessário estimular empresários e comunidade a iluminar seus empreendimentos e residências para o Natal e Ano Novo. Entretanto, a proposta ganhou novas proporções e o período foi ampliado de modo a contemplar, também, a vindima – de janeiro a março. Assim, foi possível potencializar a criação de programas inéditos e eventos exclusivos.

 

A iluminação de empreendimentos e a ampliação do horário de atendimento invadindo parte da noite estão entre as principais inovações. Isso sem contar na colheita noturna em um vinhedo iluminado. A expectativa da Aprovale é que a cada edição novos empreendimentos passem a fazer parte da proposta, fortalecendo o destino nesta época do ano. “Oferecer opções à noite é um diferencial que torna o Vale dos Vinhedos ainda mais atrativo”, garante o presidente da Aprovale, Rogério Carlos Valduga. 

 

 

 

Nesses 108 dias, os visitantes poderão desfrutar de visitação com degustação ou jantar harmonizado, visitas noturnas em vinícolas, colheita noturna, coquetel acompanhado por coral, curso básico de degustação, visita aos vinhedos, apresentação histórica, jantar e decoração temática, presença do Papai Noel, iluminação da fachada, show de fogos, ceias com cardápios alusivos ao Natal e Reveillon, além de pacotes especiais para o período. A programação especial contempla sextas e sábados. A abertura oficial da Vindima no Vale dos Vinhedos está marcada para o dia 02 de fevereiro, numa promoção do Hotel Villa Michelon, com apoio da Aprovale.

 

Natal em sala de aula

 

Dia & Noite no Vale dos Vinhedos não se restringe apenas às empresas associadas à Aprovale. O projeto também envolve a comunidade, especialmente alunos do Ensino Fundamental da Escola Municipal Lóris Reali, que no dia 20 de outubro participam de uma oficina para confeccionar enfeites natalinos a partir do uso de rolhas, cápsulas, rótulos, garrafas, entre outros. O material será utilizado para decorar a árvore natalina localizada no centro de Bento Gonçalves, além das casas do Vale e também das próprias vinícolas.

Confira algumas atrações

Casa Valduga: Visitação com degustação ou visitação com jantar harmonizado

Vinhos Dom Cândido: Jantar especial com reserva

Vinhos Don Laurindo: Visita noturna à vinícola e após coquetel com o Coral Vale dos Vinhedos

Vinícola Cave de Pedra: Curso básico de degustação todas as sextas e sábados

Vinícola Boutique Lídio Carraro: Visita aos vinhedos, apresentação histórica e jantar harmonizado

Vinhos Larentis: Jantar temático com visitação noturna à vinícola e colheita noturna

Vivatto Parque: Atendimento até às 22h nos dias 08, 15 e 22 de dezembro

Hotel Farina: Jantar harmonizado no Restaurante Arte In Távola

Hotel & SPA do Vinho Caudalie: Iluminação da fachada e vinhedos, rica decoração temática e presença do Papai Noel para distribuição de presentes

Hotel Villa Michelon: Show de fogos, ceias com cardápios alusivos ao Natal e Reveillon e apresentações de solo de piano e Sexteto Tempero Brasil

Artesanato do Vale: Aberto todas as sextas e sábados à noite

Restaurante e Café Vallontano: Jantar harmonizado dia 29 de dezembro a partir das 20h

Programação completa disponível no site www.valedosvinhedos.com.br/diaenoite

 
A expressão da safra 2012

 

Texto: Christian Bernardi (Enólogo Presidente da Associação Brasileira de Enologia)

 

 

 

 

 A cada vindima realizada no Brasil torna-se mais difícil descrever o desempenho da qualidade dos vinhos obtidos. A multiplicação de regiões produtoras e o aumento no volume de vinhos transformam o exercício de análise de safra cada vez mais complexo. Já não se pode mais generalizar conceitos. Além destas diferenças regionais, a iniciativa de alguns produtores na implementação de tecnologias de precisão, faz com que os resultados se expressem de uma forma, cada vez mais, individualizados.

 

 

Uma das ferramentas para esta análise é a Avaliação Nacional de Vinhos. Promovida pela Associação Brasileira de Enologia, este grande certame alcançou em 2012 sua 20ª edição; com números crescentes a cada edição. Esta última com aproximadamente 400 vinhos degustados, já reúne uma amostragem da safra, de várias origens e de diferentes categorias, o que pode demonstrar o segmento em que as vinícolas dedicam maiores esforços ou expectativa de qualidade.

 



Mesmo assim são muito significativas as informações que se pode extrair da análise, tanto dos vinhos inscritos, quanto dos vinhos selecionados. Um destes pontos é que a Serra Gaúcha permanece como principal origem dos vinhos inscritos. Logo depois, com destaque em número de amostras, surge: a Campanha Gaúcha, o Planalto Catarinense e outras cinco regiões bem definidas (Serra do Sudeste, Campos de Cima da Serra, Minas Gerais, Vale do Rio São Francisco e Norte do Paraná.

 



Relativo às categorias de vinhos e variedades de uvas, podemos fazer a seguinte análise: os vinhos tintos continuam sendo o maior volume, presentes em todas as regiões e apresentando a maior pluralidade de varietais. Na categoria de vinhos brancos aromáticos, há uma concentração de amostras da Serra Gaúcha e o grupo dos moscatos destaca-se enquanto variedade. Já nos brancos não aromáticos pode-se perceber que a cultivar chardonnay vem ganhando cada vez mais espaço e destaque de qualidade, adaptando-se bem a diferentes regiões do Brasil. E por fim, mas com todo destaque, observa-se mais uma vez o crescimento das amostras de vinho base para espumante, que tem um predomínio natural na Serra Gaúcha, mas já surgem amostras de grande qualidade em outras regiões – consolidando a ideia de que o espumante brasileiro, não só é uma realidade, mas também tem um potencial muito grande de expansão.

 



Quanto à qualidade dos vinhos, ficou bastante nítida a questão da estiagem que atingiu o Sul do Brasil e, de uma forma particular a Serra Gaúcha, que neste ano teve índices de precipitação muito abaixo do padrão. Como consequência, na busca de uma leitura geral da safra, pode-se afirmar que os vinhos apresentaram-se com intensidade aromática superior, os vinhos brancos ficaram marcados por aromas mais maduros e complexos em detrimento da fineza e sutileza de outras safras. Quanto aos vinhos tintos, o equilíbrio gustativo ficou bastante evidente e, podemos especular que os vinhos da safra 2012 estarão mais rapidamente no mercado pela facilidade que o enólogo terá na fase de maturação. Os vinhos base para espumante são bastante particulares por exigirem um acompanhamento muito mais preciso do momento da colheita, geralmente antecipada, e onde a expertise dos produtores se fez presente, gerando bases que aguçam a curiosidade sobre os espumantes desta safra.

 



Por fim, assim como afirmamos anteriormente, não podemos generalizar, há exceções, tanto positivas quanto negativas, mas o conjunto de vinhos apresentados como mais representativos da safra 2012 nos dizem que a última vindima foi de grande qualidade. E, se associarmos ao fator natural, a capacidade e tecnologia, já marcante dos produtores nacionais, podemos concluir que os consumidores de vinhos ficarão muito satisfeitos com os vinhos 2012 que já chegam ao mercado e, que ainda estão por vir.

 

 

 
A comemoração de uma grande safra

 

20ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2012 foi marcada por momentos emocionantes e pela consagração de um grande ano para os vinhos brasileiros

 

 

 

 

Texto: Lucinara Masiero (Conceitocom), Fotos: Gilmar Gomes

 

 

Apreciadores de todo o Brasil e do mundo, mulatas, a bateria da Escola de Samba Vai-Vai, momentos emocionantes e os 16 vinhos mais representativos da safra 2012. A  Avaliação Nacional de Vinhos, realizada neste passado sábado, dia 29 de setembro, mostrou toda a exuberância e qualidade do que promete ser uma das melhores safras de todos os tempos. Promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), o evento, que desde 1993 serve como parâmetro para a evolução dos vinhos brasileiros, bateu todos os recordes. Foram 850 apreciadores de 20 estados brasileiros e oito países, que assistiram e degustaram na taça o resultado da análise de 387 amostras inscritas por 70 vinícolas de sete estados.

 

Quando os 90 alunos de Viticultura e Enologia entravam no auditório para fazer o serviço do vinho, o silêncio tomava conta do ambiente. A cada amostra degustada às cegas, um comentário era feito por um dos especialistas convidados. O 16º comentarista foi sorteado entre o público. O privilégio foi de Filipe Müller, de Santa Maria. Conforme o evento ia avançando, a expectativa aumentava. Todos queriam conhecer os 30% mais representativos e, dentre eles, quais os 16 vinhos selecionados para o dia. Para cada amostra servida, 90 garrafas eram utilizadas, o que resultou em 1.440 garrafas.

 

O presidente da ABE, Christian Bernardi, destacou os 20 anos da Avaliação e sua relação com o processo de evolução do vinho nacional. Ele também falou do lançamento da 4ª edição da Revista Brasileira de Viticultura e Enologia, lançada pela entidade em 2009 para suprir uma demanda existente no âmbito técnico, e que foi entregue a cada um dos participantes da Avaliação. A conquista da Denominação de Origem do Vale dos Vinhedos foi enfatizada por Bernardi, que parabenizou os produtores do roteiro e chamou a atenção dos demais para seguir o modelo. Por fim, o presidente da ABE comemorou a conquista de mais um passo no processo da regulamentação da pofissão de enólogo no país.

 

No final do evento, passistas, Mestre-Sala e Porta-Bandeira e integrantes da bateria da Escola de Samba paulista Vai-Vai tomaram as atenções para si. A agremiação, que no Carnaval 2013 levará para um dos maiores eventos do Brasil a história e encantos dos vinhos brasileiros, transformou expressões nos rostos concentrados do público e gerou um reboliço no pavilhão E do Parque de Eventos de Bento Gonçalves.

 

 

 

 

Troféu Vitis 2012

 

A jornalista Sílvia Mascella da Rosa e o engenheiro agrônomo Jaime Lovatel foram os homenageados com o Troféu Vitis na categoria Amigo do Vinho Brasileiro e Enológico, respectivamente. “Continuem fazendo história que eu vou continuar contando”, disse Sílvia. A  ABE aproveitou o momento para prestar uma homenagem póstuma a seu ex-presidente, enólogo Cleber Andrade, instituindo o Troféu Vitis (in memorian), que foi entregue à família de Andrade.

 

 

OS 16 VINHOS REPRESENTATIVOS DA SAFRA 2012

 

Categoria: Vinho Base Para Espumante

 

1. Vinho Base Espumante - Chardonnay - Domno Do Brasil

2. Vinho Base Espumante - Chardonnay/Pinot Noir - Vinícola Miolo

3. Vinho Base Espumante - Chardonnay/Pinot Noir - Vinícola Geisse

 

 

Categoria: Branco Fino Seco Não Aromático

 

4. Chardonnay - Luiz Argenta Vinhos Finos

5. Chardonnay - Vinícola Góes & Venturini

6. Chardonnay - Cooperativa Vinícola Nova Aliança

7. Chardonnay - Basso Vinhos e Espumantes

 

 

Categoria: Branco Fino Seco Aromático

 

8. Moscato Bianco R2 - Vinícola Perini

 

 

Categoria: Tinto Fino Seco Jovem

 

9. Gamay - Vinícola Salton

 

Categoria: Tinto Fino Seco

 

10. Teroldego - Don Guerino

11. Merlot - Vinícola Almaúnica

12. Cabernet Sauvignon - Guatambu Estância do Vinho

13. Cabernet Sauvignon - Cooperativa Vinícola  Aurora

14. Marselan- Casa Valduga

15. Tannat - Antonio Dias Vinhos Finos

16. Tannat - Vinícola Almadén

 

 

Painel de comentaristas convidados

 

 

 

 
Brut Rosé by Chandon do Brasil

 

Experiência sensorial com refrescância cor rosada

 

Nome Comercial: Chandon Brut Rosé

Variedade: Espumante Brut Método Charmat

Casta: Pinot Noir – Riesling Itálico – Chardonnay

Alc. Vol.: 11,9 %

Enólogo: Philippe Mével

Produtor: Chandon do Brasil, Garibaldi / RS – Brasil



A primavera esta chegando, e com ela novas sensações, novas cores, novos perfumes. É uma época do ano ótima e cheia de brilho, como também um grande momento para fazer um brinde à vida, por exemplo com este belo espumante feito de uvas cultivadas na Serra gaúcha.



Elaborado pela Chandon com uma seleção das melhores uvas Pinot Noir em uma porcentagem del 40% (15% vinificadas em tinto), Riesling Itálico em um 45%, e Chardonnay em 15% este é um típico assemblage usado na região serrana.



Para determinar o momento da colheita as uvas são submetidas a muitas provas (sensoriais e analíticas) para logo serem colhidas no ponto ótimo de amadurecimento, fator que determinará o frescor, elegância, e qualidade do produto.



Assim é que se obtém um borbulhante fino, de cor rosada com meia intensidade, e com delicados aromas, complexos e atrativos, que convidam rapidamente ao desfrute. Uma vez servido é possível observar borbulhas finas, ativas e numerosas com uma espuma abundante formando um colarinho persistente na taça.



O prazer continua conquistando pela sinfonia de aromas a frutas vermelhas como o morango, a amora, a cereja e a acerola com toques sutis de especiarias doces, e leves nuances das leveduras responsáveis pela segunda fermentação.



Boa cremosidade, e paladar aveludado, com volume meio, fazem deste espumante uma ótima opção na hora de harmonizar com grande variedade de pratos, desde aperitivos simples (queijos, frutos secos), saladas com frutos do mar, carpaccios, sushis e sashimis, carnes de ave com molhos leves, e até sobremesas como sorvetes de frutas ácidas. Muito bom também para experimentar com um ceviche de salmão.



Servir em taças altas e beber – com moderação – na casa dos 6 – 8º C.

 

Mais informação da Chandon do Brasil: www.chandon.com.br

 

 
« StartPrev12345678910NextEnd »

Page 4 of 10




Copyrigth 2010 - Todos los Derechos Reservados por Daniel Arraspide - Designed by Pandemia Hosting Uruguay.